80% dos recuperados têm alguma disfunção cognitiva, diz estudo

Compartilhe Nossas Notícias

METRÓPOLES

Uma pesquisa do Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP) comprovou o que muitos ex-pacientes de Covid-19 já perceberam na prática: após a infecção, casos de dificuldade de concentração e compreensão, confusão e perda de memória são comuns. Entre as 430 pessoas que participam do estudo atualmente, mais de 80% relataram algum destes sintomas.

A primeira fase do estudo foi realizada entre março e setembro de 2020 e contou com 185 pacientes. No total, 62,7% dos participantes relataram alterações na memória de curto prazo, enquanto 26,8% dos voluntários afirmaram ter sentido impacto na memória de longo prazo. Cerca de 92,4% dos indivíduos notaram mudanças na percepção visual.

Lívia Stocco Sanches Valentin, neuropsicóloga, professora da FMUSP e autora da pesquisa, criou uma ferramenta, chamada MentalPlus, para facilitar a análise dos dados. O recurso é uma espécie de jogo virtual, pensado para avaliar funções cognitivas de pessoas com idades entre 8 e 80 anos. A avaliação cognitiva é feita em 25 minutos e os resultados são gerados em tempo real, com relatórios, gráficos e tabelas para análise.

O game foi criado em 2010 e, com a pandemia de coronavírus, a especialista percebeu que a ferramenta poderia ser útil para avaliar o impacto da Covid-19 nas funções cognitivas dos pacientes recuperados. De acordo com Lívia, alguns sintomas pós-Covid comuns são cansaço, tosse, dor de cabeça ou pequenos lapsos de memória. O problema é que, às vezes, os sinais são tão sutis que podem ser confundidos com o cansaço do dia a dia.

O aplicativo também pode ser usado para tratar os doentes, uma vez que avalia o grau de reabilitação dos pacientes. Segundo a pesquisadora, o MentalPlus foi validado em 2014 para uso no Brasil e em outros países.

O objetivo é que a metodologia seja utilizada no diagnóstico e tratamento de pessoas com disfunções cognitivas causadas pela Covid-19. No momento, a equipe de pesquisa está recolhendo dados para apresentá-los à Organização Mundial da Saúde (OMS).

Especialista em anestesiologia, a médica explica que a infecção por Sars-CoV-2 invade as vias aéreas, causando dessaturação de oxigênio. O sistema nervoso central é afetado pela falta de oxigênio, já que o sangue chega rarefeito ao cérebro. O problema pode causar isquemia, AVC e/ou afetar funções neuropsicológicas.

https://www.metropoles.com/saude/covid-19-80-dos-recuperados-tem-alguma-disfuncao-cognitiva-diz-estudo

Repórter MT


Compartilhe Nossas Notícias