Alvo de operação, dono de academia faz sucesso nas redes

Luiz Fernando Kormann, de 32 anos, foi preso na manhã desta quinta-feira (24) em Cuiabá
Compartilhe informação
Luiz Fernando Kormann Júnior, preso pela Polícia Civil, que o acusa de vender drogas sintéticas
Reprodução/ Rede Social

DROGAS SINTÉTICAS

O principal alvo da Operação Doce Amargo, deflagrada na manhã desta quinta-feira (24), é o empresário Luiz Fernando Kormann Júnior, dono da Academia Kormann Fitness, em Cuiabá.

Luiz Fernando é também uma espécie de garoto-propaganda de seu empreendimento, ostentando um corpo sarado nas redes sociais. Somente no Instagram ele tem quase 15 mil seguidores.

LEIA MAIS:

A Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão temporária contra ele, mas como foram encontrados comprimidos de ecstasy em sua casa, Luiz Fernando acabou sendo preso em flagrante.

Ao todo foram cumpridas 17 ordens judiciais, sendo nove mandados de busca e apreensão domiciliar e oito de prisões temporárias, expedidas pela 9ª Vara Criminal da Capital. Todas são cumpridas na Capital. 

O empresário é o principal alvo da operação e, de acordo com a investigação, muito do dinheiro da venda das drogas era transferido para a conta da academia. 

Material de elite

Durante o cumprimento dos mandados, a Polícia Civil apreendeu cerca de 10 ampolas com THC, o princípio ativo da maconha, que seriam usados em cigarros eletrônicos. Cada frasco é avaliado em US$ 120 (cerca de R$ 572).

Conforme os policiais, os alvos da operação também atuavam na venda de drogas como ecstasy, MDMA, LSD, conhecidos popularmente como “bala”, “roda” e “doce”, além de outras substâncias como “loló”, lança-perfume ou clorofórmio.

Os produtos são destinados ao público de elite, já que os comprimidos variam entre R$ 120 a R$ 300. Além disso, os policiais civis apreenderam cocaína já zipada, pronta para a revenda.

LIZ BRUNETTO
MIDIA NEWS

Participe de nosso grupo no WhatsApp
Entre Clicando no botão
 

 

Parceiros

     

 

 

Compartilhe informação
Veja também