Árbitro não tem condições de apitar na elite, protesta Cuiabá

Dourado perdeu para o São Paulo na tarde de domingo após ser prejudicado pela arbitragem
Compartilhe informação
Divulgação – O vice-presidente do Cuiabá, Cristiano Dresch

ATUAÇÃO “ESDRÚXULA”

O Cuiabá classificou como “esdrúxula” a atuação do árbitro Alexandre Tavares de Jesus na derrota de 2 a 1 para o São Paulo, neste domingo (15), no Morumbi, e disse ser “inaceitável” a escalação de um juiz novato para um jogo do Brasileirão.

O árbitro marcou um pênalti inexistente de Marlon sobre André Anderson e, ainda, expulsou o atacante Jonathan Cafú. 

“Não bastassem todas as dificuldades impostas pelos gigantes do futebol brasileiro, que insistem na fórmula de inflar seus ganhos às custas das equipes médias, temos que conviver com a escalação de um árbitro sem condições de apitar na elite do futebol brasileiro”, disse o Cuiabá, em nota.

“Alexandre Tavares de Jesus fez sua estreia de forma esdrúxula, marcou um pênalti inexistente contra nossa equipe, deu-se ao luxo de não consultar o VAR sabe se lá por que e ainda expulsou o atleta Jonathan Cafú depois de não ter marcado nem falta no mesmo lance”, acrescenta o documento.

Alexandre Tavares de Jesus fez sua estreia de forma esdrúxula, marcou um pênalti inexistente contra nossa equipe

O Dourado informou que fará um protesto formal na Confederação Brasileira de Futebol, mas adiantou que a atitude dificilmente gere alguma consequência palpável.

Por fim, o clube declarou que a discussão da criação da Liga Brasileira de Clubes e o discurso de união precisam ter como fundamentos duas premissas: o fim da desigualdade financeira das receitas, hoje na proporção de oito para um, e a profissionalização da arbitragem.

“Fora disso, o futebol brasileiro seguirá cada vez mais distante do esporte praticado em outras partes do mundo”, pontuou.

O jogo

O Cuiabá vencia o jogo por 1 a 0, com gol de Jenison, até os 18 minutos do segundo tempo, quando o juiz marcou um pênalti inexistente de Marlon sobre André Anderson. Apesar do erro, o VAR não revisou o lance. Calleri então converteu a cobrança, empatando.

Aos 28, o VAR chamou o árbitro de campo para punir Jonathan Cafu, do Cuiabá, com o cartão vermelho por causa de uma entrada dura – porém sem intenção – no adversário.

O pênalti inexistente e a expulsão discutível desestabilizou o Cuiabá, que permitiu a virada aos 36 do segundo tempo, com Nikão.

Com o resultado, o Cuiabá caiu para a 13ª posição do campeonato, com apenas sete pontos conquistados em seis jogos. 

O Dourado volta a campo no próximo sábado (21), quando recebe o Internacional na Arena Pantanal.

THAIZA ASSUNÇÃO
MIDIA NEWS

Participe de nosso grupo no WhatsApp
Entre Clicando no botão
 

 

Parceiros

     

 

 

Compartilhe informação
Veja também