Botelho: Não tem mais diálogo, decisão judicial é para ser cumprida

Compartilhe Nossas Notícias

RAUL BRADOCK

DA REDAÇÃO

O deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) comentou a decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) que ‘manda’ os municípios cumprirem o que está estabelecido no decreto do Governo do Estado. Uma das medidas é a quarentena obrigatória nas cidades classificadas com “risco muito alto” de contágio da covid-19.

Botelho, que é 1° secretário da Assembleia Legislativa (ALMT), esteve nesta terça-feira (30) no Palácio Paiaguás e conversou com a imprensa.

“Agora não tem mais que ter diálogo, a decisão é judicial e é para ser cumprida. Todos os prefeitos precisam compreender. Temos que cumprir”, disse Botelho.

A ‘canetada’ foi da presidente do TJ, Maria Helena Póvoas, e colocou ao menos 50 cidades em quarentena obrigatória, conforme classificação do Governo do Estado.

Alguns prefeitos se mostraram relutantes, como o de Campo Novo do Parecis, Rafael Machado (PSL). Ele afirmou que não iria acatar a decisão da Justiça, porém, recuou após o Ministério Público dizer que ele seria afastado do cargo.

Emanuel Pinheiro (MDB), em Cuiabá, acatou a decisão, porém, afirmou que vai recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Leia mais
Emanuel diz que vai recorrer de decisão que determina “lockdown”
Prefeito diz que não vai decretar “lockdown”: Podem vir me prender

Repórter MT


Compartilhe Nossas Notícias