Brasil tem 20,8 milhões de vacinados contra covid

Compartilhe Nossas Notícias

UOL CONTEÚDO

O Brasil atingiu 20,8 milhões de vacinados contra a covid-19 nesta terça-feira (6). No total, 20.828.398 brasileiros receberam ao menos uma dose de vacina, o que corresponde a 9,84% da população do país. O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde. De ontem para hoje, 805.266 pessoas receberam a primeira dose de vacina. Já a segunda dose foi aplicada em outras 285.463 nas últimas 24 horas.
Até o momento, 5.881.392 brasileiros receberam as duas doses de vacina, conforme a recomendação dos laboratórios responsáveis pela produção da CoronaVac e da Oxford/AstraZeneca. O número equivale a somente 2,78% da população nacional. O Mato Grosso do Sul permanece na liderança entre os estados que, proporcionalmente, mais aplicaram a primeira dose de vacina: 13,22% de sua população. Já o estado de São Paulo aparece em primeiro lugar entre aqueles que, em termos percentuais, mais vacinaram com a segunda dose: 3,95% da população local.
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou hoje em entrevista à emissora de televisão CNN Brasil que “há uma grande possibilidade de o Brasil fabricar a [vacina] Sputnik V”. No início da tarde ele se reuniu com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, para tratar do assunto. “O Brasil avançou na negociação, sem intermediário. A negociação é entre o governo brasileiro e o governo russo”, disse. Em vídeo obtido pela CNN, Bolsonaro esclarece: “Logicamente dependemos ainda de resolver alguns entraves aqui no Brasil e estamos com contatos com as demais autoridades, entre eles a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), de como nós podemos efetivamente importar essa vacina.
O presidente afirmou que, caso a Anvisa aprove o imunizante, a intenção é produzi-lo no Brasil. “Esperamos, caso aprovada a vacina Sputnik, que nós vamos produzir ela no Brasil”, afirmou. A Sputnik V vem tendo dificuldades para obter a aprovação. A Anvisa já reprovou um pedido de uso emergencial e suspendeu o prazo de avaliação para outra solicitação. A União Química é a farmacêutica que deve ser responsável por essa fabricação no Brasil em parceria com o Instituto Gamaleya, de Moscou.
Veículos se unem pela informação Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.
O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Repórter MT


Compartilhe Nossas Notícias