Caso Isabele: Justiça manda recolher armas do pai de atiradora adolescente

Compartilhe Nossas Notícias

Armas e apetrechos de munição serão entregues ao comando do Exército, para destruição

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

O juiz da 8ª Vara Criminal de Cuiabá, Murilo Moura Mesquita, determinou que o empresário Marcelo Cestari entregue todas as armas e apetrechos de munição que possui registradas, para posterior destruição pelo Comando do Exército Brasileiro. A decisão foi dada nessa quinta-feira (11).

Cestari é pai da menor que atirou e matou a adolescente Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos, no dia 12 de julho de 2020 no condomínio Alphaville, em Cuiabá.

O magistrado ainda determinou a suspensão imediata da autorização para a prática de tiros, caça e coleção de armas. A Federação de Tiro Desportivo de Mato Grosso também será notificada.

A adolescente já foi condenada pela Justiça a cumprir três anos de internação em unidade sócio-educativa após responder a ação por ato infracional a homicídio doloso, quando se tem intenção de matar.

A pena será revisada a cada seis meses, após avaliação psicológica, conforme previsto pelo ECA (Estatuto da Criança e Adolescência).

Atualmente, a menor está internada no Lar Menina Moça, localizado em Cuiabá, ao lado do Complexo do Pomeri.

O Livre


Compartilhe Nossas Notícias