Dono da Bom Futuro diz ter sido movido pelo calor da emoção e pede desculpas: “Não foi ético”

Compartilhe Nossas Notícias

REDAÇÃO

O empresário Elusmar Maggi, dono do Grupo Bom Futuro, emitiu nota com pedido de desculpas, na tarde desta segunda-feira (22), após afirmar que injetaria dinheiro no São Paulo para garantir uma vitória sobre o Flamengo no próximo jogo, como forma de ajudar o Internacional se tornar campeão brasileiro de 2021.

A declaração causou polêmica e o time Rubro-Negro denunciou o caso à polícia e ao Ministério Público do Rio de Janeiro.

No comunicado, Elusmar disse ter sido impactado pela partida de domingo (21) no Maracanã, onde o Flamengo venceu o Colorado por 2 a 1.

“O amor pelo clube me moveu a fazer uma doação espontânea com intuito de ajudar, de fazer a minha parte na busca pelo título. Depois de tudo que aconteceu, com o lamentável erro do árbitro e do VAR, e a derrota que deixa o título mais difícil agora, me manifestei sem pensar”, escreveu.

“Envolto em emoção, afirmei que poderia participar da última rodada com aporte financeiro ao São Paulo, algo que considero equivocado. Sei que não é ético, aceitável, nem necessário este tipo de coisa, já que o São Paulo, como grande clube que é, não precisaria de qualquer incentivo para tentar a vitória. Peço desculpas pelas palavras ditas “no calor do momento” e reitero que jamais falei em nome do Inter. Reforço que não vou fazer qualquer movimento nesta última rodada, deixando o protagonismo todo para quem sempre deve tê-lo: os jogadores”, concluiu.

O caso

Elusmar Maggi ganhou as manchetes da imprensa estadual e nacional na semana passada ao doar R$ 1 milhão para que o lateral Rodinei pudesse ser escalado. O jogador que é do Flamengo e está emprestado ao Internacional acabou sendo expulso no início do segundo tempo, o que gerou milhares de memes nas redes sociais e criticas ao empresário.

A situação piorou quando o empresário declarou que que injetaria dinheiro no São Paulo para que o clube consiga um bom resultado contra o Flamengo.

O agricultor – que na verdade é sócio do “Grupo Bom Futuro” – prometeu dar uma “mala branca” ao time paulista.

“Vou injetar dinheiro no São Paulo para a gente ser campeão. Vou estudar com a minha parte jurídica como proceder amanhã (segunda-feira, 22). Vai ser 1 a 0 para a gente contra o Corinthians”, afirmou.

Scheffer também descreveu como “uma vergonha” a expulsão do lateral-direito Rodinei contra o Flamengo, no início do 2º tempo, após revisão do árbitro Raphael Claus no monitor do VAR.

“É que nem aquela história: ‘Tenho de fazer uma entrega no Rio de Janeiro e sei que vou ser roubado, mas tenho que ir lá’. Isso não existe, foi uma vergonha, o lance do Rodinei foi uma vergonha. Na quinta, vamos ser campeões”, apostou.

Vale ressaltar que o R$ 1 milhão foi doado por Scheffer para a escalação de Rodinei sem contrapartidas – ou seja, o Internacional não precisará pagar o torcedor de volta. 

Elusmar é um dos maiores produtores rurais de Mato Grosso e vive em Cuiabá, capital do Estado.

Repórter MT


Compartilhe Nossas Notícias
Enable referrer and click cookie to search for pro webber