Dono de lava-jato iria jogar 16 kg de cal no corpo de empresária para apressar decomposição

Compartilhe Nossas Notícias

MAJU SOUZA

DA REDAÇÃO

O segundo preso pela ocultação do corpo de Rosemeire Soares Perin, de 56 anos, o faccionado do Comando Vermelho (CV) Pedro Paulo de Arruda, de 29 anos, é dono do lava-jato Risadinha, em Várzea Grande. Ele foi detido em sua casa, no bairro São Mateus, com 16 kg de cal, o qual usaria para acelerar a decomposição do corpo da vítima e mascarar o cheiro.

Durante sua prisão, na noite de quinta-feira (18), ele confessou para a equipe da Rotam que pretendia ir ao local de desova despejar o produto. Já em depoimento, na Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), ele negou ter participação no crime e disse que o cal era para pintar o seu lava-jato.

A empresária foi assassinada por Jefferson Rodrigues da Silva, 33 anos, que costumava realizar freelances no comércio de Pedro. O assassino foi preso na tarde de quinta-feira, nos fundos do lava-jato de seu comparsa.

A DHPP investiga o motivo que teria levado Pedro a ajudar Jefferson se livrar do corpo da vítima. A primeira hipótese levantada é que Pedro ficaria com o Hyundai HB20 que pertencia a empresária.

Leia mais:

Assassino amarrou, espancou e degolou empresária por dívida de R$ 1,4 mil 

Polícia investiga se empresária foi estuprada antes de ser degolada em VG

Jefferson matou Rosemeire, após ela cobrar uma dívida de R$ 1,4 mil, referente a produtos e a manutenção de uma máquina de sorvete. Ele deu uma gravata, amarrou e amordaçou a mulher. Depois de alguns minutos ela acordou, momento em que ele pegou uma faca e deu três golpes no seu pescoço.

A família da empresária registrou seu desaparecimento na quarta-feira (17). 

No dia seguinte, a Polícia Militar (PM) e a Polícia Judiciária Civil (PJC) encontraram o corpo e os envolvidos no homicídio de Rosemeire.

Repórter MT


Compartilhe Nossas Notícias
Enable referrer and click cookie to search for pro webber