Política

Eleições de 2022 vão custar R$ 20 milhões a Mato Grosso, diz TRE

Gasto estimado é 40% maior que da eleição de 2018, quando a Justiça Eleitoral conseguiu economizar cerca de R$ 3 milhões

As eleições gerais de 2022 vão custar R$ 20 milhões a Mato Grosso. A informação foi divulgada nesta terça-feira (27) pelo novo presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha. 

O valor é cerca de 40% a mais que o gasto de 2018. No próximo ano, serão escolhidos para novos mandatos presidente da República, governador, deputados estadual e federal e senador. 

O TRE-MT estima que sejam gastos R$ 14 milhões com custeio do processo eleitoral (logística, fiscalização, urnas eletrônicas, etc.) e R$ 6 milhões com pessoal.  

Em 2018, houve economia. O tribunal divulgou gastos de R$ 14 milhões, na soma total dos serviços. Nas eleições gerais anteriores, em 2014, o custo foi de R$ 17 milhões. 

Fake news

O desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha disse que o maior desafio será combater a propagação de notícias falsas. Ele enfatizou que a fraude não tem partido político e é disseminada sem critérios de agremiações. 

“A fake news não ocorre só no partido A ou só no partido B, ela não tem lado político. Ela vem sendo divulgada por ambos os lados e a sociedade tem divulgado tanto contra um quanto contra outro”, afirmou. 

O presidente também afirmou que o posicionamento do Judiciário no Brasil vem sendo interpretado com “distorção” de acordo com a cor política, no contexto da pandemia. Questionado sobre a atuação do TRE-MT, ele disse que manterá a postura de “estático”. 

“O Judiciário é por essência um órgão estático, juízes e outros servidores não vão procurar ações para julgar. Alguém procura o tribunal sobre uma questão que não concorda e o tribunal precisa dar uma resposta, como está na lei”, pontuou.  

O Livre

Deixe um comentário