Ex-comandante da PM defende retomada de discussão sobre revisão do Código de Processo Penal

De olho na Câmara, coronel quer “combater ideia de impunidade”
Compartilhe informação
Secom-MT – O ex-comandante-geral da PM, coronel Jonildo José de Assis, pré-candidato nas eleições deste ano

Pré-candidato a deputado federal pelo União Brasil e ex-comandante da Polícia Militar de Mato Grosso, o coronel Jonildo José de Assis afirmou que um dos motivos que o levou a entrar para a política é tentar acabar com a sensação de impunidade no país.

Assis, que de janeiro de 2019 a abril de 2022 ficou à frente da PM no Estado, disse que é preciso que o Estado tenha um representante da Segurança Pública em Brasília para tentar destravar pautas significativas da área no Congresso Nacional.

“Eu vejo que a nossa bancada tem uma atuação muito boa, que representa o nosso Estado, mas acredito que precisamos de um perfil dentro da área de Segurança Pública, porque a revisão das normas processuais e penais é ponto-chave para combater a ideia de impunidade que muitos criminosos ainda têm”, disse, em entrevista à Rádio CBN Cuiabá.

A revisão das normas processuais e penais é ponto-chave para combater a ideia de impunidade que muitos criminosos ainda têm

Uma das bandeiras defendidas por Assis é a retomada da discussão sobre a reforma do Código de Processo Penal.

“Isso é importante para que possamos ter uma Justiça mais eficaz, a aplicação da lei de forma mais eficaz”, defendeu.

Ele ainda salientou que, durante andanças pelo interior, tem visto a necessidade de aproximar mais os congressistas dos eleitores.

“A ideia é chegar para somar esforços. Eu entendo que um congressista precisa estar antenado em outras situações que implicam no crescimento do Estado, do país. Hoje, Brasília ainda é muito distante do município. E precisamos trabalhar isso para mitigar questões sociais relevantes para a sociedade mato-grossense, pela sociedade brasileira”, afirmou.

Peso da chapa

Assis reconheceu que a chapa de pré-candidatos do União Brasil à Câmara Federal está “pesada” e diversificada, mas disse crer em um resultado positivo para o grupo, com mais de uma cadeira conquistada no Parlamento federal.

Hoje, além do representante da PM, são pré-candidatos na sigla o senador em exercício Fábio Garcia; a ex-superintendente do Procon Gisela Simona; o empresário Antônio Humberto Bosaipo; e as Marchiane Fritzen, de Rondonópolis, e Ane Borges em Sorriso.

“São excelentes nomes, pessoas que tem contribuição com o Estado de Mato Grosso e que estão imbuídas dessa filosofia do partido que é de fazer o bem às pessoas. A ideia é tentar fazer mais de um representante”, afirmou.

LISLAINE DOS ANJOS
MIDIA NEWS

Participe de nosso grupo no WhatsApp
Entre Clicando no botão
 

 

Parceiros

     

 

 

Compartilhe informação
Veja também