Ex-secretário rompe acordo no União Brasil e migra para o PSB

Apesar de pedido do governador, Beto Dois a Um viu mais chances de eleição na chapa do partido aliado
Compartilhe informação
Reprodução – O ex-secretário de Estado Beto Dois a Um, que vai tentar uma vaga na AL

DISPUTA PELA AL

O ex-secretário de Estado Alberto Machado, o Beto Dois a Um, decidiu deixar o União Brasil, partido do governador Mauro Mendes, para se filiar ao PSB, partido pelo qual irá disputar uma das 24 cadeiras da Assembleia Legislativa nas eleições deste ano.

A informação foi confirmada pelo presidente do PSB em Mato Grosso, deputado estadual Max Russi, na noite desta sexta-feira (1º). Com essa manobra, Beto rompe o acordo que teria sido selado entre os membros do União Brasil de que ninguém deixaria o partido.

“A gente vinha conversando há alguns dias e ele achou que a chapa do PSB, por ter 15 mil votos, vai eleger um deputado e ele achou que é a chapa que ele teria condições de disputar a eleição deste ano”, disse Russi.

“Beto achou que o PSB tem a chapa que ele teria condições de disputar a eleição deste ano

“Ele já se identifica com as bandeiras do partido também e está saindo de uma secretaria que tem muita ligação [com as defesas da sigla]. A ida do [deputado] Allan Kardec para [a disputa a] federal também fortaleceu isso”, completou.

Momentos antes da confirmação de Russi, o governador Mauro Mendes já havia revelado que “pediu claramente” a Beto para não sair do partido, mas que respeitava a decisão do aliado.

“Eu manifestei meu desejo. Infelizmente houve muita essa conversa de que um sai, outro fica, e isso é muito ruim na construção de um projeto partidário, mas é um direito das pessoas buscar o caminho que julguem melhor para disputar as eleições e atingir o objetivo de ser eleito. Eu respeito isso”, afirmou.

“Ninguém sai”

Durante a semana, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (União Brasil) afirmou que os correligionários haviam colocado um ponto final na instabilidade dentro do partido, após as ameaças feitas pelo deputado estadual Dilmar Dal’Bosco e o ex-senador Júlio Campos de que iriam sair da sigla.

Segundo Botelho, na ocasião restou combinado que ninguém deixaria o partido. A informação foi confirmada pelo próprio Dilmar.

“Nós definimos que todos têm que ficar. Esse é o acordo: todo mundo dentro do partido. Nós estamos unidos. Família é unida”, disse o deputado.

LISLAINE DOS ANJOS
MIDIA NEWS

Participe de nosso grupo no WhatsApp
Entre Clicando no botão
 

 

Parceiros

     

 

 

Compartilhe informação
Veja também