Faltam botões do pânico em MT e deputado pede aquisição urgente

Compartilhe Nossas Notícias

DA REDAÇÃO

O deputado Max Russi (PSB), que também é primeiro-secretário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, solicitou à Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) a compra urgente de botões de pânico, utilizados por mulheres vítimas de agressão no estado. 

Max argumentou que em Mato Grosso o uso de tornozeleiras em agressores enquadrados pelo crime de violência doméstica (Lei Maria da Penha) é superior ao número de botões de pânico. São 188 agressores para 72 mulheres, mas nem todas contam com o dispositivo.

A necessidade de adquirir mais dispositivos, conforme o parlamentar visa aumentar a sensação de segurança das vítimas, considerando o aumento de casos de invasão de seus domicílios.

“Em razão da pandemia, houve um aumento substancial de violência doméstica, inclusive com maior número de casos de invasão das residências dessas vítimas”, alertou.

O parlamenar ainda explicou que o botão é vinculado à tornozeleira utilizada pelo agressor, que ao se aproximar da vítima vibra deixando-a em alerta e também a polícia. 

O distanciamento é estipulado pela Justiça e deve ser cumprido pelo criminoso.

Repórter MT


Compartilhe Nossas Notícias