Governo de Mato Grosso tenta vender vagões do VLT ao Rio de Janeiro

Mato Grosso e o VLT
Compartilhe informação
Reprodução

Poucas horas antes de o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz, determinar a suspensão de todo o trâmite para o início das obras do Ônibus de Transporte Rápido (BRT) em Cuiabá e Várzea Grande, o governo de Mato Grosso ‘apresentava’ os vagões do VLT para uma comitiva da Prefeitura do Rio de Janeiro, com o objetivo de firmar um acordo para vender os trens para a gestão do prefeito Eduardo Paes (PSD-RJ).

Em conversa com o jornal A Gazeta, o secretário municipal de Coordenação Governamental do Rio, Jorge Luiz Arraes, confirmou o interesse nos 40 vagões do VLT.

“Nós fomos conhecer o VLT e ficamos impressionados com o que vimos. Estão bastante conservados”, disse.

Arraes disse que sua visita ocorreu após uma conversa entre o governador Mauro Mendes (União) e o prefeito Eduardo Paes.

Após a visita, a decisão de comprar ou não os trens ocorrerá após estudos técnicos da Prefeitura do Rio, que está em processo ampliação dos corredores do modal.

A comitiva carioca liderada por Arraes incluiu engenheiros visitou o modal no dia 6 de maio.

O secretário-adjunto de Infraestrutura de Mato Grosso (Sinfra), Rafael Detoni, foi o responsável por apresentar o Centro de Manutenções e Controle Operacional (CMCO) e os vagões do VLT, na tentativa de convencer os cariocas a comprarem o modal que o governo Mendes deseja ‘enterrar’.

A comitiva demonstrou preocupação ao governo do Estado em relação ao imbróglio jurídico existente envolvendo a troca do modal VLT pelo BRT.

O BRT na ‘cidade maravilhosa’ está sob intervenção desde março deste ano por conta de várias falhas, como atrasos, panes mecânicas e incêndios.

Protestos populares se intensificaram nos últimos meses na capital fluminense, que hoje foca sua política pública em substituir o BRT pelo VLT, ícone da reurbanização do Rio.

Um aditivo contratual com a empresa CCR já foi assinado este ano para ampliação da linha de VLT já existente na cidade.

O plano da prefeitura passaria ainda por utilizar as atuais linhas de operação do BRT para implantar trilhos e colocar mais VLTs em circulação.

Outra cidade brasileira que estaria de olho nos VLTs de Mato Grosso é Brasília, que também pretende ampliar a oferta de mobilidade urbana com esse modal.

Por PABLO RODRIGO – GAZETA DIGITAL

Participe de nosso grupo no WhatsApp
Entre Clicando no botão
 

 

Parceiros

     

 

 

Compartilhe informação
Veja também