Homem morto na porta de casa recebeu R$ 150 mil para executar advogado

Compartilhe Nossas Notícias

DA REDAÇÃO

Assassinado na manhã da última quinta-feira (11), Cícero de Assis Lima, 54 anos, recebeu R$ 150 mil para intermediar a morte do advogado Milton Queiroz Lopes em março de 2020. Em agosto Cícero chegou a ser preso e disse ter recebido R$ 50 mil para contratar os assassinos e outros R$ 100 mil que foram divididos com a dupla que executou.

A execução do advogado ocorreu em Juara (709 km de Cuiabá), em março deste ano.

Milton Lopes foi atingindo por tiros dentro de seu escritório, na região central de Juara, no dia 17 de março. Após ser alvejado, o advogado ainda correu até a porta do escritório buscando socorro e caiu na frente do prédio, onde morreu. O crime teria sido encomendado pelos irmãos fazendeiros Douglas Martin Paes de Barros e Diego Martin Paes de Barro.

Os dois autores da morte do advogado foram presos em flagrante, no distrito de Americana do Norte. Já Cícero, foi preso em Presidente Prudente (SP).

O crime

Cícero estava conversando com um amigo debaixo de uma árvore, quando dois homens chegaram numa moto, pediram algumas informações. Após uma rápida conversa, eles sacaram as armas e atiraram contra ele.

O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas quando os militares chegaram ao local o homem já estava sem vida. Ele usava uma tornozeleira eletrônica.

Repórter MT


Compartilhe Nossas Notícias