Justiça converte em preventiva a prisão dos assassinos de empresária

Compartilhe Nossas Notícias

JOAO AGUIAR

DA REDAÇÃO

A prisão temporária de Jefferson Rodrigues da Silva, de 33 anos e Pedro Paulo de Arruda, de 29, foi convertida em prisão preventiva pelo juiz Abel Balbino Guimaraes, da 4ª Vara Criminal de Várzea Grande. A audiência foi realizada no final da tarde deste sábado (20).

A dupla é responsável pelo assassinato da empresária e Rosimeire Soares Peri, de 56 anos, e foi recebida pelo magistrado que decretou a prisão preventiva pelo crime em audiência de custódia. O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) não divulgou detalhes da decisão.

Rosimeire Soares Peri foi morta na terça-feira (16) por cobrar dívida de R$ 1.400 pela manutenção de uma máquina de sorvete vendida por ela a Jefferson.

As investigações da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), conduzidas pelo delegado Marcel Oliveira, apontaram que a vítima foi entregar uma peça para Jefferson quando foi morta, na terça-feira (16), no bairro Vila Artur, em Várzea Grande.

Em depoimento, o homicida contou que Rosemeire foi até sua quitinete prestar assistência para a máquina de sorvete que estava alugada para ele. Os dois discutiram e ele partiu para cima dela, que acabou caindo, batendo a cabeça e desmaiando. A mulher ainda foi espancada pelo bandido.

No calor do momento, ele achou melhor matar a vítima e se livrar do corpo. Com uma faca, degelou e desferiu alguns golpes na empresária.

Na noite daquele dia, com ajuda do faccionado do Comando Vermelho (CV), Pedro Paulo de Arruda, ele enrolou o cadáver em um saco plástico, seguido de um cobertor e desovou em uma região de mata da Passagem da Conceição.

Repórter MT


Compartilhe Nossas Notícias