Mauro Carvalho: Meu futuro político não está definido e nada está descartado

Secretário chefe da Casa Civil deixará o governo nos próximos dias para se dedicar ao partido e vida empresarial
Compartilhe informação
Camilla Zeni/RepórterMT

EM CIMA DO MURO

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho (União Brasil), afirmou que nada está descartado em relação a seu futuro político, reforçando a tese de que poderá compor como primeiro suplente ao Senado em uma eventual chapa apoiada pelo governador Mauro Mendes (União).

Nesta quarta-feira (23), Carvalho anunciou a saída do governo para se dedicar aos projetos do partido, bem como às suas empresas. Conforme declarou à imprensa, a decisão foi tomada após muito diálogo com o governador. A saída também atende ao prazo de desincompatibilização, previsto na legislação eleitoral para 2 de abril, caso ele decida ser candidato.

Questionado sobre a possibilidade de assumir a suplência, o chefe da Casa Civil afirmou que está à disposição do grupo político.

“Eu quero ter a liberdade, nesse período eleitoral, de escolha. Posso voltar para as minhas empresas e para a minha família, posso voltar para o  governo, posso ser alguma coisa, tudo isso são discussões de um grupo que está muito unido e que estão sendo colocadas semanalmente. O futuro político da minha vida eu não tenho, hoje, uma definição. Nada está descartado”, disse à imprensa, após o anúncio.

Nos bastidores, a informação é de que Carvalho deva ser o primeiro suplente do senador Wellington Fagundes (PL), em seu projeto de reeleição. Isso porque, no início do mês, Mauro Mendes se encontrou com o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, quando teria oferecido o palanque para o presidente Jair Bolsonaro (PL). Em troca, Bolsonaro não poderia apoiar nenhum candidato ao governo, garantindo Carvalho como o primeiro suplente na chapa.

Contudo, oficialmente, Mauro não confirmou nem seu projeto de reeleição e nem o acordo para ceder palanque a Bolsonaro. A posição de Mauro Carvalho no pleito de 2022 também não foi comentada pelo governador, que se limitou a dizer que não vai impedir o chefe da Casa Civil de “seguir um sonho”.

Em relação à posição de Carvalho, também se especulou a possibilidade de que ele possa compor como vice na chapa com o próprio governador, em eventual projeto de reeleição. O secretário, porém, ressaltou que o atual vice-governador, Otaviano Pivetta (sem partido) tem a prioridade para definir se quer ou não a dobradinha, ou seja, disputar mais uma vez na chapa com Mauro Mendes. 

CAMILLA ZENI
DO REPORTERMT

Participe de nosso grupo no WhatsApp
Entre Clicando no botão
 

 

Parceiros

     

 

 

Compartilhe informação
Veja também