Mendes diz que não tem lógica antecipar vacina de presos: ‘ninguém mandou praticar crime’

Compartilhe Nossas Notícias

O governador Mauro Mendes (DEM) declarou que irá seguir o protocolo de vacinação nacional e não irá antecipar doses do imunizante contra a Covid-19 para presos de Mato Grosso. Enquanto comentava a infecção de pelo menos 32 presos na cadeia pública de Barra do Garças (Distante 500km de Cuiabá), Mauro disse que a escolha de eles estarem lá não foi do governo.

“Não vejo lógica fazer isso. O cidadão que está lá dentro foi uma opção que ele fez. Não foi uma opção que o Estado fez. Foi uma opção dele, ele não foi obrigado, ninguém colocou uma arma na cabeça dele e mandou ele praticar um crime”, disse o governador.

Durante a primeira onda da Covid-19 em Mato Grosso, mais de 600 presos testaram positivo para a doença. Inclusive foram distribuídos kits com remédios para tratar a doença nas penitenciárias e cadeias.

Questionado na coletiva, realizada na tarde de terça-feira (2) no Comando Geral da PM, Mauro Mendes voltou a ser enfático, que segue apenas o plano do Ministério da Saúde. “Senhores, não haverá isso. Não vou passar presos na frente de ninguém. Em Mato Grosso seguimos o plano de vacinação nacional. Apenas”, concluiu o governador.

OLHAR DIRETO


Compartilhe Nossas Notícias