MP investiga seis por suspeita de propina nas eleições de 2010

Compartilhe Nossas Notícias

Candidatos à Assembleia Legislativa e à Câmara dos Deputados teriam recebido dinheiro de corrupção para financiar suas campanhas

(Foto: Reprodução)

O Ministério Público de Mato Grosso instaurou seis inquéritos civis para investigar a suspeita de que dinheiro de propina tenha abastecido a campanha eleitoral de candidatos a deputado estadual e federal. Os alvos são políticos filiados ao Partido Progressista (PP) nas eleições de 2010.

As investigações foram abertas no dia 7 deste mês e serão conduzidas pelo promotor de Justiça Célio Fúrio, que compõe o Núcleo de Defesa do Patrimônio Público.

Os investigados são os ex-vereadores por Cuiabá Deucimar Aparecido da Silva e Levi Pires de Andrade, o “Leve Levi”; o ex-vereador por Várzea Grande e ex-deputado estadual Peri Taborelli; o ex-deputado federal Pedro Henry; o atual prefeito de Sinop Roberto Dorner; e o empresário Gustavo Almeida.

Os inquéritos civis foram abertos a partir das declarações do ex-deputado estadual José Riva, que durante 20 anos alternou nas funções de presidente e primeiro secretário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, sendo considerado peça chave do PP nas eleições de 2010.

Em um pen drive disponibilizado ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), Riva aparece em vídeos narrando que o Partido Progressista negociou financeiramente o apoio político para aderir à campanha do ex-governador Silval Barbosa nas eleições de 2010. O dinheiro teria sido desviado dos cofres públicos para comprar o partido.

Nos depoimentos dados na delação premiada que firmou com a Procuradoria Geral da República (PGR), o ex-governador Silval Barbosa já havia dito que pagou R$ 7 milhões para obter o apoio do PP nas eleições daquele ano.

O Livre


Compartilhe Nossas Notícias