PF cumpre 11 mandados contra suspeitos de extração de ouro ilegal em garimpos dentro de terras indígenas em MT

Organização criminosa é formada por pessoas e empresas envolvidas na extração e compra de ouro oriundos de garimpos ilegais em Mato Grosso.
Compartilhe informação
PF cumpre 10 mandados de busca e apreensão — Foto: Polícia Federal

Por g1 MT

A Polícia Federal deflagrou a operação ‘Via Áurea’, nesta terça-feira (14), para cumprir um mandado de prisão e 10 de busca e apreensão contra uma organização criminosa formada por pessoas e empresas envolvidas na extração e compra de ouro oriundos de garimpos ilegais.

Os mandados são cumpridos em Pontes e Lacerda, CuiabáVárzea GrandeSão José do Rio Preto (SP) e Catanduvas (SP).

As investigações apuraram que o ouro é retirado de garimpos clandestinos localizados em terras indígenas na região de Vila Bela da Santíssima Trindade, Pontes e Lacerda e Nova Lacerda.

Segundo a PF, as investigações iniciaram-se a partir da prisão em flagrante de uma pessoa que realizava o transporte de 1.690 gramas de ouro, sem nota fiscal ou qualquer documento legal que comprovasse a origem do bem que, originalmente, pertence à União.

Ouro apreendido pela polícia durante as investigações — Foto: Polícia Federal
Ouro apreendido pela polícia durante as investigações — Foto: Polícia Federal

O ouro apreendido tinha como origem a cidade de Pontes e Lacerda e como destino Cuiabá.

A partir dessa prisão, a polícia também identificou os principais integrantes da organização criminosa que de fato financiam a exploração ilegal do meio ambiente.

A Justiça Federal determinou o bloqueio de todos os veículos em nome dos investigados, bem como o bloqueio de valores em até R$ 9,6 milhões.

A PF ressaltou que, ao comprar e vender ouro de origem ilegal, os criminosos financiam diretamente a degradação do meio ambiente, poluem os rios da região e geram, consequentemente, um dano social, além do desequilíbrio no mercado financeiro.

O nome da operação faz referência ao fato da prisão em flagrante que deu início às investigações ter sido realizada em uma rodovia.

Participe de nosso grupo no WhatsApp
Entre Clicando no botão
 

 

Parceiros

     

 

 

Compartilhe informação
Veja também