Cidades - MT Destaque Agora

PF cumpre mandados em MT contra grupo que traficava mulheres para serem exploradas sexualmente; fotos

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira (27), a operação ‘Harem BR’, que tem por objetivo desarticular um grupo criminoso voltado ao tráfico de mulheres para fins de exploração sexual. Um dos nove mandados de busca e apreensão foi cumprido na cidade de Rondonópolis (215 quilômetros de Cuiabá).

Ao todo, a PF cumpre nove mandados de busca e apreensão e oito de prisão preventiva. Destes,  cinco foram  incluídos na Difusão Vermelha da Interpol (Paraguai, Estados Unidos, Espanha, Portugal e Austrália), diante da suspeita de que alguns investigados estejam fora do país.

Os mandados de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Vara da Justiça Federal em Sorocaba, estão sendo cumpridos nas cidades de São Paulo/SP, Goiânia/GO, Foz do Iguaçu/PR, Venâncio Aires/RS, Lauro de Freitas/BA e Rondonópolis/MT.

As investigações foram iniciadas em 2019, em inquérito policial instaurado com base em desdobramento da denominada Operação NASCOSTOS, que desarticulou um grupo de estelionatários que praticava fraudes pela internet, mediante a clonagem de cartões de crédito.

No curso dessa investigação (Operação Nascostos), identificou-se que algumas das compras feitas pelos estelionatários com cartões clonados foram de passagens aéreas, as quais tiveram como destinatárias duas mulheres que viajaram a Doha/Catar. Uma vez identificadas, essas vítimas de exploração sexual relataram cerceamentos de direitos a que foram submetidas nesse destino, bem como que receberam as passagens de um indivíduo que as agenciou para a prática dos atos de prostituição.

Com o avanço das investigações, identificou-se uma rede de agenciadores/aliciadores que atuava na exploração sexual, tanto em território nacional, quanto no exterior. Até o momento, a investigação apurou que os países para os quais houve viagens para fins de exploração sexual foram Brasil, Paraguai, Bolívia, Estados Unidos, Catar e Austrália. Há indícios, ainda, de que em algumas viagens ao Paraguai foram aliciadas/agenciadas pessoas menores de 18 anos. 

Os crimes investigados são:

1)    favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual de criança ou adolescente ou de vulnerável;
 
2)    tráfico de mulheres para fins de exploração sexual;
 
3)    falsidade material e/ou ideológica e uso de documento falso;
 
4)     favorecimento da prostituição ou outra forma de exploração sexual.
 

Seguindo todos os protocolos de cuidados do Ministério da Saúde, em face da pandemia do Covid-19, a Polícia Federal continua trabalhando.

OLHAR DIRETO

Deixe um comentário