PF prende cacique e servidor da Funai por esquema com garimpeiros

Servidor era “agente duplo” e repassava informações sobre a realização de operações
Compartilhe informação
Operação Ato Reflexo foi deflagrada neste domingo
Reprodução/PF

OPERAÇÃO ATO REFLEXO

A Polícia Federal em conjunto com o Ibama deflagrou no fim da tarde de domingo (20) a Operação Ato Reflexo para desarticular uma associação criminosa que cometia crimes ambientais e contra a administração pública.

São alvos um servidor da Fundação Nacional do Índio (Funai), uma liderança indígena e garimpeiros ilegais. Os mandados foram expedidos pela Vara Cível e Criminal de Juína.

Durante ações de fiscalização em uma terra indígena localizada entre os municípios de Juína e Aripuanã, foram apreendidos dois celulares.

Após a análise dos aparelhos, foi constatado que um servidor da Funai trabalhava como “agente duplo”, utilizando da função pública para repassar, previamente, informações a alguns garimpeiros sobre a realização de operações de crimes ambientais realizadas por policiais federais e o Ibama.

Segundo a PF, o servidor cobrava para repassar as informações.

Também foi confirmada a participação de uma liderança indígena, que recebia 20% do ouro extraído da Terra Indígena.

O proprietário de máquinas a quem foi transmitida a informação de que haveria operação policial dirigida aos garimpos até o momento encontra-se foragido.

As investigações terão continuidade para identificar os indivíduos envolvidos nas demais práticas criminosas investigadas.

MIDIA NEWS

Participe de nosso grupo no WhatsApp
Entre Clicando no botão
 

 

Parceiros

     

 

 

Compartilhe informação
Veja também