PMs da Rotam, Bope e Força Tática forjavam confrontos e matavam para se promover

Operação Simulacrum prendeu 81 policiais nesta quinta-feira acusados de participarem de grupo de extermínio em Cuiabá e VG
Compartilhe informação
Reprodução

ESQUADRÃO DA MORTE

Os policiais militares alvos da Operação Simulacrum deflagrada na manhã desta quinta-feira (31), forjavam confrontos para executar os alvos e promover nomes e batalhões. O grupo criminoso integrava os Batalhões da Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam), Batalhão de Operações Especiais (Bope) e Força Tática do 1º Comando Regional.

Ao todo, foram expedidos 81 mandados de prisão pela 12ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá. A operação que tem apoio do Ministério Público Estadual (MPE), investiga o envolvimento dos militares em 24 homicídios praticados em Cuiabá e Várzea Grande desde 2017.

De acordo com as investigações, os alvos eram atraídos para locais ermos, onde já se encontravam os policiais militares e eram sumariamente executados, sob o falso fundamento de um confronto.

Leia mais sobre o caso

PMs são presos por supostas execuções em MT; Veja nomes!

Foi destacado pelas autoridades que a intenção do grupo criminoso era a de promover o nome dos policiais envolvidos e de seus respectivos batalhões.

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que irá se pronunciar sobre o caso assim que as incursões terminarem e todos os mandados de prisão forem cumpridos.

Mais detalhes da operação deverão ser divulgadas ainda hoje.

DAFFINY DELGADO
REPORTERMT

Participe de nosso grupo no WhatsApp
Entre Clicando no botão
 

 

Parceiros

     

 

 

Compartilhe informação
Veja também