Policial penal é encontrado morto em casa e deixa carta

Compartilhe Nossas Notícias

MAJU SOUZA

DA REDAÇÃO

O policial penal Wanderson Alexandre de Lima Marques, de 34 anos, foi encontrado morto  por seus colegas de trabalho, na tarde de quinta-feira (1), em Várzea Grande. A vítima deixou uma carta sob o cômodo do seu quarto. 

Segundo a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), os colegas de Wanderson sentiram a falta dele e foram até a casa onde ele mora. A residência do policial penal fica próxima à estrada que liga Várzea Grande a Passagem da Conceição.

Ao chegarem à casa, eles encontraram o carro estacionado na garagem, com o ar-condicionado ligado. Desta forma, eles ligaram para polícia, para que tivessem apoio para entrar no imóvel. 

Os policiais militares arrombaram a porta da casa e adentraram junto com os policiais penais. Wanderson foi encontrado em sua cama, sem vida e com uma carta próxima dele.

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foi acionada e realizou os procedimentos no local. Em seguida, o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). 

A presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindspen), Jacira Maria, lamentou a perda do profissional, o qual ela afirmou estar com depressão. Ela disse que a classe vem sendo negligenciada, já que o Estado não oferece assistência psicológica para os agentes. 

Peça ajuda

O CVV (Centro de Valorização da Vida) tem realizado em Cuiabá, todas as quintas-feiras, reuniões com sobreviventes ao suicídio e seus familiares. Assim como parentes de pessoas que se mataram.

Também passaram a ser gratuitas as ligações feitas ao número 188. Canal de atendimento 24 horas.

Mais de um milhão de atendimentos anuais são realizados por 2.000 voluntários pelo telefone 188, pessoalmente (nos 80 postos de atendimento) ou pelo www.cvv.org.br via chat, Skype e e-mail.

Repórter MT


Compartilhe Nossas Notícias