Por alugar campo de futebol, prefeito continuará com bens indisponíveis

Compartilhe Nossas Notícias

Dono do terreno onde seria o campo era membro da comissão de licitação da prefeitura

Imagem Ilustrativa

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso manteve o bloqueio de R$ 145 mil do prefeito de Paranatinga (376 km da Cuiabá), Josimar Marques Barbosa (MDB), e mais cinco pessoas que trabalhavam com ele na gestão municipal. Todos são suspeitos de improbidade administrativa.

Ele é acusado de alugar um terreno para construção de um campo de futebol sem licitação e pelo valor mensal de R$ 5 mil.

O proprietário da área, Kesley Pereira Nunes, era um dos integrantes da Comissão de Licitação da prefeitura à época e foi penalizado na mesma decisão, junto com Devenilson da Silva, Beatriz Elisa Behnen e Rubens Sousa de Aguiar – todos membros da comissão.

Também está no rol de acusados, Paulo Arthur Terra de Moura Filho, que na ocasião ocupava o cargo de secretário-chefe de gabinete do prefeito.

Somente 10 minutos foram necessários para os desembargadores rejeitarem as alegações do prefeito. Ele argumentou que não havia sobrepreço no valor de aluguel, porque não existem laudos de avaliadores que comprovem isso no processo.

Argumentou ainda, que o banheiro e o alambrado, que deveriam ser construídos pelo dono do terreno, já estavam concluídos, descaracterizando um dos argumentos do Ministério Público de Mato Grosso.

Na ação, o MP mostra que o terreno foi contratado em 2017 e em 2019, houve uma vistoria no local e não foi constatada a presença da estrutura.

“A construção do alambrado estava em andamento, os banheiros não existiam e havia apenas postes de iluminação, sem as lâmpadas”, consta na ação.

Vale lembrar que conforme a ação do MP, dois aditivos de valor foram feitos durante a vigência do contrato para construção de banheiros e alambrados.

O Livre


Compartilhe Nossas Notícias