Prefeito de Cuiabá sugere que agentes públicos doem salários durante quarentena

Compartilhe Nossas Notícias

Em decreto, Emanuel Pinheiro determinou o corte no próprio salário por 10 dias. No documento, ele sugere que outras autoridades municipais façam o mesmo

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Emanuel Pinheiro (MDB), prefeito de Cuiabá, decretou quarentena obrigatória pelos próximos 10 dias na cidade. Neste período, o chefe do Executivo autorizou corte no seu próprio salário. A medida começa a valer a partir da próxima quarta-feira (31) e se encerra no dia 9 de abril.

Segundo a prefeitura, o salário bruto do prefeito de Cuiabá é de R$27,505,96. Desse valor, serão descontados R$6.647,12, o equivalente a 10 dias da remuneração de Pinheiro.

A prefeitura informou também que o valor será doado para o Fundo Municipal de Combate e Erradicação da Pobreza, criado pelo próprio Pinheiro.

Além de cortar o próprio salário, o prefeito sugere que os demais agentes políticos municipais realizem cortes nos próprios salários.

À reportagem, o presidente da Câmara Municipal, Juca do Guaraná (MDB), que é da base do prefeito, explicou que o Legislativo já discute há algum tempo a doação das emendas impositivas. Cada um dos 25 vereadores deve abrir mão de R$ 700 mil.

“Queremos ajudar mais do que já estamos ajudando. É de comum acordo entre todos os vereadores. Vai ser muito além de doação de parte de salários. Temos que levar em conta que muitos têm compromisso com o salário e família para manter”, disse.

Quarentena obrigatória

Com o novo decreto, as aulas presenciais estão suspensas e o toque de recolher entre 21h e 5h já decretado anteriormente volta a vigorar. Também estão proibidas uaisquer atividades de lazer ou evento que cause aglomeração.

Os servidores municipais terão a rotina alterada durante a vigência do decreto e trabalharão em sistema de homeoffice. Contudo, a medida não vale para os servidores da Saúde, do Meio Ambiente, Mobilidade Urbana, Ordem Pública e vigilantes.

Nesse período, os órgãos públicos municipais deverão disponibilizar meios eletrônicos e/ou telefônicos para possibilitar o acesso pelos cidadãos aos serviços públicos ofertados.

As medidas valem até o dia 9 de abril, um dia depois do aniversário de Cuiabá.

O Livre


Compartilhe Nossas Notícias