Destaque Agora

Prefeitura diz que não consegue abrir novos postos de vacinação em três dias

Serviço demandaria estrutura física e de pessoal que o município não teria disponíveis de imediato para atender ordem judicial

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

A Prefeitura de Cuiabá diz não ter condições de criar novos postos de vacinação de maneira rápida. O serviço dependeria de estrutura física e profissionais de saúde que o município não conseguiria dispor em curto tempo. 

O argumento está em recurso protocolado na Vara de Ação Cível Pública com pedido de revisão de prazo pela juíza Célia Regina Vidotti. No dia 19 deste mês, a magistrada deu três dias para o município abrir 10 novos postos de vacinação na Capital. 

“A abertura demanda uma série de providências administrativas prévia, notadamente, a estrutura física, material humano, insumos, logística, segurança, recursos financeiros, material de apoio para acondicionamento e manuseio das vacinas entre tantos outros fatores. Pugna-se pela reconsideração do pleito liminar, notadamente pela impossibilidade de cumprimento no exíguo prazo determinado”, disse. 

A ordem para a descentralização da vacinação partiu de um pedido do Ministério Público do Estado (MPE), para evitar aglomeração e acelerar a campanha nacional.  

Na liminar, a juíza Célia Vidotti sugere que os novos pontos sejam instalados nos bairros Jardim Industriário, Pedra 90, Pascoal Ramos, Residencial Coxipó, Parque Cuiabá, Coophema, Tijucal, CPA III, Três Barras, Doutor Fábio, Novo Paraíso e Coophamil.  

Ontem (23), o prefeito Emanuel Pinheiro inaugurou um posto no estacionamento da Assembleia Legislativa. A expansão faz parte de cooperação entre o município os deputados estaduais. 

O prefeito disse na cerimônia que Cuiabá tem eficácia de acima de 70% na aplicação das doses de vacina.  

O Livre

Deixe um comentário