Sefaz prevê perda de R$ 1 bilhão na arrecadação com redução de ICMS

A proposta estabelece o teto de 17% no tributo dos combustíveis, gás de cozinha e energia elétrica.
Compartilhe informação
Reprodução / MidiaNews – secretário de Estado de Fazenda (Sefaz), Fábio Pimenta

O secretário de Fazenda de Mato Grosso (Sefaz), Fábio Pimenta, afirmou ao RepórterMT que o Estado de Mato Grosso deverá deixar de arrecadar cerca de R$ 1 bilhão por ano, com o Projeto de Lei que limita as alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incidentes sobre combustíveis, gás natural, energia elétrica, telecomunicações e transporte coletivo a 17%.

A proposta foi aprovada por maioria no Senado Federal na sessão de segunda-feira (13). Os três senadores do Estado, Wellington Fagundes (PL), Fábio Garcia (União Brasil) e Margareth Buzetti (PP) votaram a favor do projeto.

Pimenta explicou que o impacto com a redução do tributo para os estados brasileiros deve girar em torno de R$ 100 bilhões por ano. Ele ainda enfatizou que, somente na questão da energia elétrica, Mato Grosso vai deixar de arrecadar quase R$ 500 milhões por ano.

“No país, como um todo, o impacto gira em torno de 100 bilhões de reais, de acordo com a conta do Confaz, com esse projeto que foi aprovado ontem no Senado. Para Mato Grosso, tem alguns impactos com, por exemplo, a retirada do ICMS sobre as tarifas de uso de transmissão e de distribuição de energia elétrica (TUST, TUSD). O Estado deixará de arrecadar cerca de R$ 560 milhões por ano”, explicou.

A redução na arrecadação com o imposto deverá afetar também o Fundo de Combate à Pobreza. Apesar da aprovação, o secretário enfatizou que o projeto não garante que o consumidor sentirá a redução na bomba, por conta da política de preços aplicada pela Petrobras.

“Temos os impactos menores, como o querosene de aviação que é cerca de R$ 7 milhões, mas o total de impacto para o estado seria aí R$ 1 bilhão de reais por ano, aproximadamente. E a preocupação que nós temos é que nesse projeto, ele não garante que obrigatoriamente os preços na bomba vão ser reduzidos”, acrescentou Pimenta.

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTER MT

Participe de nosso grupo no WhatsApp
Entre Clicando no botão
 

 

Parceiros

     

 

 

Compartilhe informação
Veja também