Destaque Agora

Vereadores abrem CPI para investigar denúncias de medicamentos vencidos em Cuiabá

Pedido de investigação partiu de parlamentar que é primo do prefeito e ainda é o nome mais cotado para presidir os trabalhos

A Câmara Municipal de Cuiabá aprovou nesta terça-feira (27) a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a origem dos medicamentos vencidos encontrados na Central de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá (CDMCI) pelos vereadores Diego Guimarães, Maysa Leão e Tenente Coronel Paccola, todos do partido Cidadania.

O pedido de investigação partiu do vereador Lilo Pinheiro (PDT), que é primo do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB). O pedetista, aliás, deverá presidir a CPI. O requerimento recebeu o apoio de 13 dos 25 vereadores de Cuiabá.

No requerimento, a CPI diz que será investigada por 120 dias toda a situação sobre “aquisição, armazenamento e distribuição de medicamentos e insumos realizados pela secretaria municipal de Saúde de Cuiabá”.

O nome cotado para ser relator da CPI é o vereador e médico Dr. Luiz Fernando (Republicanos), mas a definição oficial será anunciada após a reunião do Colégio de Líderes, programada para ser realizada ainda nesta semana.

Na sessão ordinária desta terça-feira (27), os vereadores se dedicaram a ouvir a secretaria municipal de Saúde, Ozenira Felix, que prestou esclarecimentos diante do alto volume de medicamentos vencidos sob responsabilidade da Prefeitura de Cuiabá, incluindo aqueles de alto custo. Há caixas de medicamentos que custam mais de R$ 22 mil a unidade.

A secretaria Ozenira Felix apresentou 21 volumes com documentos relativos à gestão de medicamentos pela Prefeitura de Cuiabá. Os documentos apresentados são relativos aos processos de aquisição e parte dos relatórios já produzidos sobre medicamentos com data de validade expirada.

Todo o material será analisado pela Comissão de Saúde da Câmara de Cuiabá.

O Livre

Deixe um comentário